Sexta, 30 de outubro de 2020 hh:mm:ss

Academia Pesqueirense de Letras e Artes (APLA) dá posse a cinco novos membros

No Dia Mundial do Escritor, 13 de outubro, APLA dá posse de forma virtual a cinco novos imortais: José Célio Guimarães (cadeira 03), Andréa Luciene Galvão de Siqueira (26), Carlos Alberto Medeiros Galindo (28), Nilo Bezerra de Moraes (35) e Flávio José Jardim (36).

Publicado em 13 de outubro de 2020 às 12:22
Atualizado há 2 semanas

       Já eram os primeiros minutos da madrugada do dia 13 de outubro (terça-feira), data mundial dedicada ao escritor, quando o presidente da Academia Pesqueirense de Letras e Artes (APLA), Geraldo Santana, anunciou, de forma virtual e oficial, a posse dos cinco novos membros da entidade.

       A APLA celebra um período de efervescência e reafirma seu compromisso com a cultura de Pesqueira. Salvaguardar o conhecimento e a cultura é a premissa da Academia Pesqueirense, que conta com uma diretoria atuante.

       Na posse virtual estavam o presidente José Geraldo Tenório de Santana, a Secretária-Geral Zuleide Maria de Siqueira Calado, a Tesoureira Maria José Gomes e Maria da Conceição Alves de Lima, da Comissão de Admissão.  

APLA

       A Academia Pesqueirense de Letras de Artes representa um totem inexorável da cultura do município. Um símbolo da proteção, difusão e impulsionamento de nossa história. Muitos célebres intelectuais já passaram pela cerimônia de posse, inclusive todos os membros atuais.

       Hoje, 13 de outubro, foi diferente. A restrição social ainda é necessária, mas esse fato não tirou o brilhantismo e a emoção dos cinco novos membros contemporâneos, que repetiram o ritual para ingressar no templo da cultura de Pesqueira.

       Os confrades e confreira José Célio Guimarães, Andréa Luciene Galvão de Siqueira, Carlos Alberto Medeiros Galindo, Nilo Bezerra de Moraes e Flávio José Jardim já foram empossados e agora dão continuidade à missão cultural, literária e artística da casa das Letras e Artes.

CULTURA IMORTAL

       Para José Geraldo Tenório de Santana, presidente da instituição, a Academia Pesqueirense de Letras e Artes (APLA) guarda a história de Pesqueira através de ilustres personagens que constroem ou construíram o município em sua essencial cultural e literária. “Essa história continua sendo contada e construída pelos membros e agora pelos novos integrantes, em conexão com a sociedade”, disse Geraldo Santana.

       No grupo de WhatsApp da APLA, hoje, muitas mensagens parabenizaram os novos confrades e confreira, além de agradecimentos emocionados dos próprios novos membros (veja abaixo).

CASA-MÃE

       Os membros e os novos confrades e confreira emprestam genialidade e vitalidade à Academia. Mas, por mais grandiosas que sejam suas obras e ações na sociedade, jamais serão maiores que a grandeza da APLA, que é a Casa-Mãe, detentora do saber coletivo.

       Ao final da cerimônia virtual, o presidente da APLA, Geraldo Santana, deu boas-vindas aos novos confrades e confreira e destacou que “os novos membros estão ingressando pela competência e intelectualidade. Estrão aqui para a valorização da cultura”.

       Ouça o áudio do presidente da APLA.

DEPOIMENTOS DE MEMBROS DA APLA

NILO MORAES

“Muito orgulho em viver este momento. O tempo todo e todo tempo, darei o melhor de mim para contribuir com o engrandecimento da APLA”.

MACIRAJARA FREITAS

“Boas-vindas aos novos acadêmicos! A APLA abre seus braços para os nobres confrades! Maravilha tê-los conosco.”

ZULEIDE SIQUEIRA

       “Com muito orgulho acolho meus novos pares para juntos fortalecermos nossa Casa de Cultura e Arte. Parabéns a todos, que com muita ênfase expressaram o desejo e o compromisso com nossa Instituição”.

GERALDO SANTANA

       “Parabéns aos novos Acadêmicos. Sejam bem vindos. Todos Unidos pelo mesmo objetivo”.

CARLOS ALBERTO GALINDO

       “Sr. Presidente e prezados Colegas,

       Há eventos que ocorrem em nossas vidas que tornam determinados dias especiais. Hoje é um dia muito especial, fazer parte da APLA, onde meu pai, Israel Medeiros, teve a honra de fazer parte dos primeiros Imortais.

       Com grande alegria, venho juntar-me a vocês. Lembro e envio uma poesia que escrevi em minha juventude, 1977, com o nome de Sede”.

SEDE

Carlos Galindo

Ainda beberei

de muitas fontes

Para ter minha água própria

Para correr

sobre mim mesmo

E jorrar bem alto

da montanha mais bela.

E dentre rochas brancas

Brancas, puras e firmes,

Jorrará minha água

pura e cristalina

Para matar a sede de sedentos

Que hoje vivem como eu.

Meu sonho de poeta

é ser fonte

E renascer oásis

Entre desertos.

ANDRÉA GALVÃO

“Ilustríssimo Sr. Presidente, Geraldo Santana e caríssimos Confrades,

    A alegria que me invade no dia de hoje é difícil de ser mensurada, pois desde o dia que adentrei a APLA tímida e ressabiada, desejei ser membro daquela ilustre entidade que me encantava os olhos e o coração. Tornar-se acadêmica hoje é a realização de um sonho e consolida a minha paixão pela palavra escrita.

     Quero reafirmar o meu compromisso em contribuir com o que preciso for, em honrar as insígnias que passarei a usar e principalmente cultuar, manter e propagar tudo que advém das raízes culturais da minha Amada Pesqueira. Registro aqui o meu agradecimento às saudações de boas-vindas e a alegria em estar no convívio de todos vocês.

              Andréa Galvão”

MARIA TORRES

“Muito bem-vindos, caros confrades! Comungando dos nobres objetivos de uma academia, muito poderemos fazer pela nossa terra!”

Voltar ao topo