Domingo, 21 de abril de 2024 hh:mm:ss

APLA | Galba Macêdo é eleita para Academia Pesqueirense de Letras e Artes (APLA)

A coroação literária de Galba Macêdo na APLA: A Conquista da Cadeira 11. Escritora, professora e poetisa é autora de inúmeros trabalhos literários, tem uma gigante trajetória como professora de português, mestra em linguística e agora torna-se imortal

Publicado em 1 de outubro de 2023 às 21:57
Atualizado há 7 meses

PESQUEIRA (PE) – Em uma tarde iluminada pelo resplendor da erudição e do talento, a cidade de Pesqueira, no interior de Pernambuco, testemunhou a ascensão de uma das suas joias literárias mais preciosas. A renomada escritora, professora e poetisa Galba Niedja Bonfim de Macêdo foi eleita, no último dia 28 de setembro, para ocupar a cadeira número 11 da célebre Academia Pesqueirense de Letras e Artes (APLA). Um feito que eleva ainda mais a cultura e a literatura de Pesqueira e sua região a patamares insuperáveis.

       A votação que conferiu a Galba Macêdo a honra de tornar-se imortal na vida literária e cultural de Pesqueira e região transcorreu na majestosa sede da APLA, um edifício que irradia história e sabedoria, situado na emblemática Praça Comendador José Didier, também conhecida como a “Praça da Rosa”. Foi lá que, diante de renomados acadêmicos, Galba Macêdo foi eleita com o voto da maioria, consagrando-se como a guardiã da cadeira 11 da APLA.

       Para a APLA, a sede da Atenas do Sertão, esse é um marco indelével, reforçando ainda mais seu papel como uma das mais destacadas academias não apenas de Pernambuco, mas do Nordeste do Brasil. Com um quadro de acadêmicos que brilham como estrelas literárias, a APLA encontra em Galba Macêdo um novo raio de luz que iluminará os caminhos da literatura regional.

       A Assembleia Eleitoral, além de eleger Galba Macêdo para a cadeira 11, também aprovou a entrada de outros dois membros notáveis: Rita de Cássia Cavalcanti (cadeira 09) e Paulo Muniz (cadeira 04). Segundo a presidente da APLA, Conceição Alves, a posse solene desses ilustres membros está marcada para fevereiro de 2024, prometendo ser um evento memorável para a cultura pesqueirense.

REFORÇO ACADÊMICO E CULTURAL

       A trajetória cultural e acadêmica de Galba Macêdo é de um brilhantismo incomparável. Mestre em Letras, com ênfase em Português, e com uma pós-graduação em Literatura, ela é autora de dezenas de poemas, sonetos e contos que encantam e emocionam o público, revelando uma profunda conexão com a língua e a palavra. Recentemente, parte da obra de Galba foi publicada neste site (ver link abaixo), sendo amplamente elogiada, cativando novos admiradores.

       Por décadas, Galba Macêdo compartilhou seu vasto conhecimento como professora, deixando uma marca indelével nas mentes e corações de inúmeros alunos. Seu ensinamento firme e inspirador a distinguiu como uma das melhores professoras da região, uma educadora que moldou o futuro de seus pupilos e enriqueceu o patrimônio cultural da terra que ama.

       A notícia da eleição de Galba Macêdo para a APLA foi recebida com emoção pela escritora. Em comunicado da Presidência da APLA, datado de 28 de setembro de 2023, ela foi informada sobre sua aprovação no processo seletivo para a cadeira 11, cujo patrono é Luiz Cristóvão dos Santos. O documento, assinado pela presidente Conceição Alves, destacou a honra que a APLA sente em acolher Galba Macêdo e anunciou que vai comunicar a data da posse e todos os detalhes da solenidade que celebrará a conquista literária dessa estimada poetisa e professora.

       Assim, Galba Macêdo se une ao panteão de imortais da APLA, enriquecendo ainda mais a cultura e a literatura das regiões agreste e sertão de Pernambuco. Seu nome resplandece como uma estrela literária em ascensão, e seu legado perdurará, inspirando gerações futuras a explorar os ricos tesouros das letras e das artes. É um privilégio para Pesqueira e sua região contar com uma mente brilhante e uma alma literária como a de Galba Macêdo.

       Procurada pela reportagem do Site Flávio J Jardim e da Revista Poder, Galba Macêdo falou com exclusividade sobre a eleição na Apla:

       “Há aproximadamente 01 década, quando da posse na APLA da minha querida amiga e tia do coração Maria José Gomes de Almeida (Juza), hoje tesoureira da Academia Pesqueirense de Letras e Artes, senti-me orgulhosa por ela e com ela e desde então, acalentei a vontade de também me inscrever para a seleção da referida Instituição”.

       “Por várias vezes, falei sobre esse desejo a alguns amigos, entre eles o Acadêmico e agora Confrade Gera Santana. De todos, sempre recebi apoio e incentivo, mas como tudo acontece no tempo de Deus, esse ano resolvi me inscrever para a seleção, fui aceita para concorrer e no último dia 28, fui eleita para fazer parte do seleto grupo da Academia Pesqueirense de Letras e Artes”.

       “Foi um momento de emoção e felicidade inenarráveis, pois era um sonho, há muito acalentado e finalmente tornou-se realidade. Toda a minha família e amigos mais próximos vibraram comigo por essa conquista. Muitos dos Acadêmicos e das Acadêmicas da APLA enviaram-me mensagens pessoais de boas-vindas e parabéns pela realização do meu sonho. Aproveito esse espaço para agradecer a todos e a todas, sobretudo à Presidente Conceição Lima e à Tesoureira Juza, que já no dia seguinte (29/09) estiveram comigo e com o amigo, também neoacadêmico, Paulinho Muniz, para informações formais sobre a APLA. Deixo aqui registrada a minha alegria e emoção por fazer parte da APLA e da promessa de cooperar para que a Academia seja sempre mais reconhecida, deixando assim o meu legado pela passagem por essa Casa de Literatura e Artes”, frisou Galba Macêdo.

Cantar a Vida!

Tem dias que eu paro e sinto uma enorme vontade de calar…

Morrer. Morrer de uma doença chamada silêncio, mas o coração (é ele que comanda as emoções?) não permite e ainda teima em dizer que devo continuar falando, gritando, cantando o mundo ao mundo porque essa é a minha missão: inventar e reinventar maneiras de melhor aproveitar o tempo que ainda me resta e aí resta-me olhar para a vida e achar graça dessa vontade de silenciar porque eu já passei muito tempo calada quando deveria ter aproveitado todas as emoções sentidas e transformado-as em canções para que fossem lidas, cantadas e sentidas por todas as pessoas que a mim se achegassem ou aconchegassem-se pois vida é pra ser cantada, nunca silenciada.

Galba Macêdo / 24/08/2023.

Saiba Mais no Portal www.flaviojjardim.com.br (Link nos stories).

Voltar ao topo