Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA!

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA!
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA! A tecnologia é e sempre foi a realização dos sonhos humanos, através das “coisas”.

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA!

Era uma vez...

Assim começam todas as estórias infantis, contos de fada, estórias de Trancoso, de Pedro Malazarte etc. A Internet das Coisas, ou em inglês Internet of Things, ou IoT, a gente pode definir, de um jeito bem simples, como a maneira de se comunicar com as coisas e como elas vão nos responder. E como vão se comunicar entre elas mesmas. Do mesmo jeitinho que acontece nos contos de fada, onde bules e xícaras dançam e cantam, onde Lumiére briga com Horloge ou onde abóboras viram carruagens e sapos se transformam em príncipes

 

A figura de linguagem prosopopeia ou personificação, animismo ou antropomorfismo, é o nome que se dá a esse fenômeno, que nos permite personificar, ou melhor, transformar em pessoas, seres inanimados como bules e relógios e irracionais como Simba. Essa é uma brincadeira antiga, é um jeito antigo de criança brincar. Lembra da Madrasta de Branca de Neve, que não saia de casa sem se certificar que estava mais bonita do que todo mundo? “Espelho, espelho meu, há alguém mais linda do que eu?” e que recebia do espelho a notícia de que Branca de Neve era mais bonita que ela?!

Pois, vejam só! Não é que isso aconteceu de verdade?! Imagine um espelho, no seu closet, que se comunica com seu guarda roupa e reproduza fielmente você vestida com qualquer das roupas, inclusive apresentando sugestões. Já imaginou um espelho que pode reproduzir as imagens de todas as roupas que você experimentou na frente dele e depois lhe mostrar, uma depois da outra, para que você consiga rever, comparar, e escolher qual ficou melhor? E ainda misturando peças lhe dizer qual lhe cai melhor, naquele dia, para tal situação?!  Isso não é um sonho de futuro. Já é uma realidade. Basta montar o roteiro, alimentar o banco de dados, criar um software, interligar tudo e: pronto! Você já pode concorrer com a madrasta da Branca de Neve. É como um sistema nervoso que possibilita a troca de informações entre dois ou mais pontos. Ou, entre você e os pontos que você escolheu.

 

Isso se faz através de sensores inteligentes e softwares que transmitam os dados para uma rede, podem ser chips, conexão com a internet, sensores, antenas, controles remotos, e outras bugigangas tecnológicas, ou nem tanto, eletrônicas ou não, chamadas de gadgets em inglês, suficientes para enfeitiçar tudo ao seu redor!

 

 

E nesse mundo fantástico, você pode incluir o seu despertador, para lhe despertar com uma bela música ou o canto do galo; interligá-lo à máquina de café e à torradeira de pão, abrir as cortinas do quarto e selecionar para você as notícias matinais que, ele sabe, lhe interessam!

A geladeira pode lhe sugerir o cardápio do almoço e se interligar com o fornecedor de alimentos para prover os ingredientes que precisa;

Além do automóvel que se ajusta a você, assim que você se senta, da máquina de lavar prato que deixa tudo limpo e arrumadinho, computadores e smartphones, que dão conta de sua agenda e de suas tarefas do dia, inclusive pagamentos.

Qualquer utensílio que você consiga imaginar pode, teoricamente, entrar para “o mundo encantado” da Internet das Coisas. Ou, melhor ainda, fazer parte do seu Mundo Encantado! Abracadabra!

 

David Rose em seu livro Enchanted Objects, Design, Human Desires and the Internet of Things – fala em objetos encantados e com vida, que são capazes de se antecipar às nossas necessidades. Perceber nosso humor, controlar nossos sinais vitais e ainda administrar alguns medicamentos como a insulina. Rose acredita que os objetos encantados dos contos de fada e da ficção científica vão entrar ou já entraram na nossa vida real.

 

Era uma vez, pessoas que gritavam com a geladeira, chutavam caixas eletrônicos, esmurravam o aparelho de TV ou sacudiam, com raiva, a panela na pia, por ter “queimado” seu arroz! Isso é animismo!

Com o reconhecimento de voz e de face pelos computadores, isso será, mais do que nunca, factível e usual. Com o aprendizado das máquinas, elas estarão melhor aparelhadas para corresponder a essas nossas “exigências”! Tomara os aparelhos esmurrados não resolvam reagir à altura!

 

O mundo encantado das estórias infantis ou seu contraponto sofisticado da ficção cientifica, (estórias da Carochinha) para os adultos, nada mais é do que a expressão desses mesmos sonhos. Não custa lembrar o livro 20 Mil Léguas Submarinas de Júlio Verne. Tenho colegas que não leem romance para não perder tempo. Não sabem eles o tempo que perdem, por não lê-los!

 

A tecnologia é e sempre foi a realização dos sonhos humanos, através das “coisas”. O que está acontecendo nos dias de hoje, nada tem de mais extraordinário do que a descoberta do fogo, a invenção da roda ou da máquina a vapor! Desde Arquimedes, com a afirmação, “Dê-me um ponto de apoio e uma alavanca que moverei o mundo”, até os nossos dias, com tudo o que nossa mente ainda poderá inventar.

 

Na tecnologia tão falada e nem sempre bem utilizada do Planejamento Estratégico, há uma parte sempre explicitada para se identificar, internamente, os Pontos Fracos e Fortes e, externamente, as Ameaças e Oportunidades. Se atentarmos bem para a história da humanidade, vamos verificar que todas as grandes descobertas ou as mais extraordinárias invenções, foram sempre resultantes da atenção, do foco, sobre os pontos fracos e as ameaças e não sobre os pontos fortes e as oportunidades!

Se o pessoal de planejamento estratégico descobre isso!!! Abracadabra!

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA!

 

Voltando ao mundo mágico da Internet das Coisas, IoT, podemos dizer que, de uma forma geral, se um objeto é eletrônico, ele tem potencial para ser integrado à Internet das Coisas. E, mesmo “coisas” que não são eletrônicas, como uma prosaica porta, com mecanismo de vai-e-vem, pode estar integrada ao sonho mágico das coisas:  se você coloca nela um chip, e um simples censor em seu bolso, vai fazê-la se abrir à sua passagem, como nos melhores filmes de contos de fada. E ainda lhe desejar Bom Dia, ou Bom Apetite!  O Café está servido! À vontade, à vontade! Sob o comando de Lumière. E avisar às demais “coisas” que você está chegando! Abracadabra!

 

Caminhões de lixo podem ser alertados de onde tem lixo que precisa ser coletado, e sensores nos nossos carros vão nos direcionar para onde há vagas e o melhor caminho para chegar onde queremos, assim como os ônibus podem atualizar sua localização em tempo real, e avisar aos usuários

Tudo indica que a vida será muito boa. Mas não esqueça que uma parte da humanidade nasceu para atrapalhar a outra, mesmo nos melhores contos como o tio Scar, irmão do Rei Mufasa, em O Rei Leão. Então tenha cuidado com tudo o que você coloca em rede! Para não correr o risco de transformar um belo conto de fadas em uma estória de terror.

Abracadabra!

Airton: Coluna da Sexta-Feira. ABRACADABRA!

Publicado por
em

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados