Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS. Não adianta latir, nem correr. Restam as dúvidas, as incertezas, o sofrimento e o prejuízo! Do cachorro que caiu do caminhão!

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS

      Não se pode volta para trás, porque o atrás acabou. Ir para frente, como? Se nem ao menos a gente sabe onde está? Como acompanhar a velocidade desse caminhão de mudanças que entra e sai na nossa vida, todos os dias?

      A gente tinha apenas uma grande promessa de felicidade: self-services! Terminais inteligentes, máquinas que ouvem e que falam! Embora nem sempre obedeçam. Tudo leva-nos a crer e a sonhar, que a vida será melhor, mais fácil, mais confortável e mais barata! A velocidade, o vento no focinho, o cheiro de coisas gostosas, ai é só olhar a paisagem deslumbrante e desconhecida. Quem sabe uma cadela mis simpática que a Suzi ou um poste num lugar mais discreto!?

      De repente, um buraco! Um sacolejo maior, e lá se vão nossos sonhos. Não adianta latir, nem correr. Restam as dúvidas, as incertezas, o sofrimento e o prejuízo! Do cachorro que caiu do caminhão!

      Mas os motivos de felicidade continuam ai por toda parte. A máquina que entrega bolinhas para as crianças, que só aceita fichas! E ai a gente tem que ir comprar as fichas. Por que não vende logo as bolinhas?

      O caixa eletrônico do banco, que em vez de ficar no meu caminho, fica dentro do banco! Como às vezes o lugar é pequeno a gente fica em pé, ao sol. Segurança? De quem?

      O fogão caríssimo, auto limpante, com controle de temperatura, ligação elétrica a um só toque que, devido à má instalação ou falha de manutenção ou, ainda mais prosaico, não se entender com a gordura do cozimento, vira um pé de boi, em alguns meses e cheio de defeitos e frescura! Quem sabe a máquina de lavar loucas ou roupas! Feitas para me deixar tempo para inventar novas receitas ou melhorar o sabor do de todo dia? Que nada! A gente tem que ficar atento aos seus barulhos, soluços, engulhos e atos falhos!

      E o computador que adquiri porque todo mundo tem um e ninguém usa mais máquina de escrever?! Juntamente com o fabuloso e milagrento celular? Quando dá pane é um Deus nos Acuda! Logo aparece alguém que mexe, mexe e diz com ar professoral: melhor jogar fora e comprar outro! Se a gente, por descuido ou ignorância, enfiou o dedo onde não devia, perde tudo.

      Sou meio desconfiado em fazer transações bancárias por internet banking. Ignorância da idade e dos velhos costumes. Cheguei à minha agência e perguntei como fazer uma transferência. Todos foram simpaticíssimos, entendi e escrevi tudo, Viajei. Fui tentar fazer a transferência.

      Já tinha todas as senhas, numéricas, alfa numéricas, de seis, de oito dígitos, pus tudo na minha frente, juntamente com a conta bancária.  Fiz tudo certinho. Mas claro que não podia dar certo, era mais um avanço tecnológico! A última coisa que apareceu foi um espaço pra colocar o código PIN. Que diabo é PIN? Por que ninguém me falou disso? Onde vou conseguir isso agora? Por que todos acham que a gente deve saber de tudo isso? Me senti como aquele cachorro, que caiu do caminhão, depois do catabilho!

      Sofro a insegurança das compras pela internet, principalmente passagens aéreas, escolher assento então, é um inferno; me ressinto de não ter como perguntar as coisas, e quando o faço, fico escutando aquela vozinha educada, repetindo a mesma frase, como papagaio de convento. Pensa que isso só acontece aqui? Que nada! Essa agonia percorre o mundo inteiro! E todos evitam perguntar! Grande parte tem vergonha de parecer ignorante!

 

Por que será?

 

      La ou cá, tecnologia é um questão de direcionamento e adequação a momentos, pessoas e situações, não exatamente nessa ordem.

      Tecnologia de ponta é aquela que está voltada para atender a ponta do processo: o usuário! E não para as pontas de quem a criou ou a dirige!

      A máquina de delivery não foi inventada para facilitar o processo de distribuição. “Todo processo de negócio é um processo de atendimento ao cliente” (Miopia em Marketing, 1960, Biblioteca Harvard Theodore Levitt) ignorante! E os caixas automáticos não foram inventados para demitir bancário! Ignorante de novo quem se enganou com o objetivo ou manipula-o a seu bel prazer. Aliás, manipulação virou moda!

      E, por mais que certos robôs assexuados e seus criadores sonhem, secretaria eletrônica, - ainda existe viu! - não foi criada para substituir as secretárias de carne e osso. Isso já se sabia desde os anos noventa!

      A tecnologia é para facilitar a vida das pessoas, - viu pessoal? – se complicar, tem algo muito errado na endeusada tecnologia!

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS

 

      E não adianta vir com a desculpa que é questão de segurança! Essa é a principal desculpa pra quem não consegue fazer bem feito. Máquinas que precisam de curso de pós graduação para usar, devem ficar restritas às universidades. Para que os alunos aprendam o que não devem fazer em modernização.

      Qualquer tecnologia é boa desde que facilite a nossa vida, seja um martelo pra botar um quadro na parede, um fax ou um e-mail pra enviar uma mensagem. Sobretudo, a tecnologia não pode servir para humilhar as pessoas ou gerar a forma moderna de concentração de renda: a concentração de acesso!

      Caso contrário, além de cair do caminhão de mudança, ficaremos rodando atrás do próprio rabo só pra parecer que estamos nos divertindo.

Airton Monteiro. CAMINHÃO DE MUDANÇAS

Publicado por
em

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados