Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida! Com mais de 20 anos de atuação no interior de Pernambuco, mantém a tradição e estará neste sábado (02), Dia de Finados, com tendas de apoio nos cemitérios de Pesqueira, Alagoinha e Poção, dando assistência às famílias que visitam os locais.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

      O Grupo Boa Fé é pioneiro no conceito de planos funerários no Agreste de Pernambuco. Cresceu, inovou, implantou o sistema de pagamentos mensais, instalou o melhor e mais bem equipado velório do interior do Estado e está pronto para o futuro: a finalização da construção de um cemitério vertical em Pesqueira, um marco, um momento dedicado à vida.  

      Há mais de 20 anos de atuação, o Grupo Boa Fé, liderado por José Floriano Lopes, o Zé da Funerária, celebra novas conquistas e hoje, Dia de Finados (02 de novembro, mantém a tradição e estará com tendas de apoio nos cemitérios de Pesqueira, Alagoinha e Poção, dando assistência às famílias que visitam os locais.

      Nessas tendas, haverá carros de som (com músicas alusivas à data), distribuição de água mineral, flores, velas e fósforos para seus associados, além de assistência de enfermeira caso alguém passe mal ao visitar seus mortos.  

      O Dia de Finados é celebrado de forma especial pelo Grupo Boa Fé. “Trabalhamos duro para prestar assistência às famílias, tudo com muito respeito e sensibilidade”, diz Zé da Funerária.

      Toda essa assistência faz parte da proposta do Grupo Boa Fé de transformar o Dia de Finados (data considerada triste) em uma celebração à vida. Finados, quando há mais movimento e visitação nos cemitérios, a empresa lembra dos entes queridos de seus associados e presta uma assistência/homenagem aos que se foram.

 

PERPETUAR MEMÓRIAS

 

      As ações realizadas pela empresa realmente ameniza o sofrimento das famílias, que vão aos campos santos para lamentarem a morte de seus entes. A ideia de Zé da Funerária em colocar enfermeiras e carros de som nos locais ajuda nesse momento de dor e deixa o lugar menos triste.

      A partir das 8h, as equipes do Grupo Boa Fé estão a postos nessas três cidades. “O Dia de Finados chama as famílias para que venham partilhar esse momento de reflexão e de lembranças”, destaca Zé.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

 

RESPEITO À VIDA

 

      A primeira unidade do Grupo Boa Fé foi estabelecida em Pesqueira, no final dos anos de 90. De lá até agora, depois de muito trabalho e dedicação, a empresa tornou-se num símbolo de um novo conceito de assistência funeral. Há 12 anos, Zé, preocupado com o baixo poder aquisitivo das famílias, pesquisou e decidir implantar o Plano Funerário. Atualmente, o Plano da Boa Fé facilita um momento tão sofrido nas famílias.

      “Quando as pessoas perdem um ente querido ficam sem chão, sem cabeça para raciocinar. A Boa Fé cuida de tudo para seus associados”, esclarece Zé da Funerária. Após, a concretização do plano, o empresário decidiu implantar um velório onde as pessoas pudessem, com conforto e organização, se despedirem de seus mortos.

Hoje, o velório do Grupo Boa Fé é um dos mais amplos, melhores e mais organizados locais de visitação do interior de Pernambuco. 

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

 

      Ao longo do tempo, o Grupo Boa Fé priorizou não somente as relações pessoais com os falecidos e seus entes, mas também as relações sanitárias e de limpeza. O velório e o galpão de preparação do corpo é o único no Agreste, com excelência nos serviços. O atendimento atesta que a empresa segue os mais rigorosos padrões de controle de qualidade.

      Atualmente, centenas de famílias de várias cidades da microrregião confiam nos serviços oferecidos pelo Grupo Boa Fé. Ao longo dos anos, o empresário Zé da Funerária firmou parcerias com prefeituras, sindicatos, associações e empresas.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida! 

HISTÓRIA & TRAJETÓRIA

 

         Zé da Funerária pode ser considerado um exemplo extraordinário de um empreendedor que seguiu em frente, nunca desistiu, e que carrega uma trajetória de sucesso. Foram tempos de muito suor, dedicação extrema e muito trabalho.

      A história do negócio traz consigo o legado de uma vida, a trajetória de um trabalhador que correu riscos e aceitou um desafio, mesmo sabendo que seria difícil, mas que não era impossível.

      Zé da Funerária pode ser visto como Empreendedor, Conquistador e Transformador. É um dos maiores exemplos de empresários que veio de baixo, sem orgulho ou arrogância.

         Ele fez das crises oportunidades. Acreditou no sonho, movimentou o mercado. Ergueu um futuro e criou novos horizontes para toda sociedade, mesmo quando muitos torciam o rosto para um negócio funerário. Mais do que produtos ou serviços, o empresário pesqueirense construiu a inovação, fomentou sustentabilidade e respirou oportunidades.

         Hoje, é reconhecido como um empresário que encampou o desenvolvimento, promoveu a geração de renda e criou de empregos para a população. “Investir no futuro do município e provar para as novas gerações que Pesqueira e a região, sim, tem mecanismos para dar certo e um caminho de acertos a seguir”, destaca Zé.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida! 

COMEÇO DIFÍCIL

        

         Zé da Funerária trabalhou 11 anos no Hospital Dr. Lídio Paraíba, em Pesqueira. Foi pintor, porteiro, servente, recepcionista e até auxiliou médicos em cirurgias.

      Após trabalhar numa funerária e ser despedido, contou com o apoio de sua esposa Rosângela e decidiu abrir o negócio. Sem dinheiro, Zé juntou um pouco que a esposa tinha, contou com a ajuda do pai e, motivado para crescer na vida, comprou dois caixões. Desses dois caixões, Zé montou um império e hoje é respeitado em todo o estado de Pernambuco.

         Mas, não foi da noite para o dia. Com humildade, amor e carinho – como ele gosta de frisar – nasceu a Funerária Boa Fé. Zé não tinha carro e levava, de madrugada, os caixões na cabeça.

         “Me orgulho disso. Levei muitos caixões nas costas para fazer o velório”. Zé tinha 30 anos e, como já havia trabalhado no hospital, sabia as necessidades das famílias na hora mais difícil da vida: a morte de um ente querido. Enquanto outros só pensava em vender o caixão, Zé dava suporte às famílias, ajudava, acalentava, sofria também com a dor da família. Isso foi um diferencial para seu sucesso.

         O sucesso de Zé se deu justamente por isso, ele aliou o consolo às famílias a um serviço mais humanitário às pessoas. Ele imprimiu a marca por que é justamente assim como trabalha, usando a Boa Fé.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida! 

CRESCIMENTO & NEGÓCIOS

 

         Numa viagem que fez a São Paulo, numa feira, Zé foi apresentado ao Plano Funerário. O empresário brilhou os olhos ao ver a ideia, que era simples, fácil e barata de se aplicar em Pesqueira e região. Ele foi falar com a esposa, Rosângela, e ela também aprovou a ideia, que seria a mola propulsora do negócio.

      Eles foram na base do porta a porta visitar os clientes. “Durante a noite, tempo que estávamos livre, íamos em todas as casas oferecer o serviço”, lembra.

         “Uns aceitavam, outros achavam desconfortável fazer um plano funerário, mas com persistência e afinco, nós fizemos um bom número de associados”, conta. Aos poucos, Zé diz que foi “mudando a cabeça das pessoas” e convencendo que “a hora de se pensar na morte é quando se está vivo”.

         Zé explica que um Plano Funerário não é só pensar no enterro, mas sim numa assistência total para a família. “Chega esse momento, as pessoas já estão muito estonteadas com a morte de um parente. Então nós explicamos que tornamos esses trâmites mais fáceis, para que a família não tenha problemas em resolver as questões do sepultamento”, diz.

         Segundo o empresário, ninguém está preparado para perder alguém que ama. E por isso, a maioria das pessoas prefere não falar a respeito.

      Para ajudar ainda mais as famílias, o empresário passou a fornecer um serviço de assistência funeral que alia a qualidade dos serviços Boa Fé com a tranquilidade e comodidade que somente a empresa pode oferecer.

         Ele explica que, ao contratar o serviço, a Boa Fé resolve tudo para a família, começando pela orientação e ajuda no desembaraço de toda a documentação de óbito do falecido, passando pelos serviços básicos que compõem um funeral até a inclusão das taxas. Cada detalhe é pensado para a família não tenha que se preocupar com mais nada.

         O Plano é Assistencial para toda família e, para crescer, Zé agregou valor ao fazer convênios com farmácias, oculistas, cabeleireiros, e isso agradou aos clientes. “O produto não era só um plano funerário, passou a ser um plano familiar”, argumenta.

         Hoje, o Plano Funerário Boa Fé é muito bem aceito em Pesqueira e em toda região. A empresa tem clientes em vários estados do Nordeste, em municípios do interior e, em Pesqueira, tem milhares de associados.

         A esposa de Zé, Rosângela, sempre foi um defensora e em todos os momentos ajudou e acreditou no projeto. Hoje, Zé trata todos os seus associados, empregados e colaboradores, como uma Família.

         O Plano Boa Fé atende também na área de ortopedia e uma loja foi montada na Praça Jurandir de Brito justamente para incrementar o atendimento aos clientes. “Isso dá direito a descontos para cadeiras de rodas, muletas, anda-já, colchão-d’água, próteses e muitos serviços”, explica.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

 

PIONEIRO

 

         Pesquisador no assunto, Zé passou a ler tudo sobre funerárias e planos assistenciais. A cada dia, incrementa e incorpora serviços ao Plano Boa Fé. Zé da Funerária foi o primeiro empresário da região e dos primeiros do interior de Pernambuco a implantar o plano funerário.

         Os clientes buscam o plano para não deixar problemas para a família. Nisso, a empresa criou um cartão, tipo identidade, que garante a atendimento completo. “Muitos clientes já pagaram o funeral completo, no intuito de não deixar complicações para a família”, revela.

         Para ser um diferencial, o empresário “profissionalizou” o sepultamento. “Antes havia a tradição de se levar a cruz na frente do enterro, coisa que abolimos por que todo mundo tinha vergonha de levar a cruz”, destaca.

         O empresário introduziu um carro de cortejo ao sepultamento, que carrega a cruz, as flores, as coroas e toca músicas. Para tirar os velórios das casas residenciais – outro grave problema -, Zé instalou um espaço para as famílias velarem seus mortos na própria sede da Boa Fé, no bairro do Prado.

         Funcionou bem, mas quando houve um grande enterro, de uma pessoa bem conhecida, as ruas ao lado foram tomadas pelo público e isso atrapalhou até o trânsito.

         “Além de sofrer com a morte de um ente, as pessoas se desgastam ao fazer um velório em suas casas. Então decidi montar um velório próprio. Esse espaço já ficou pequeno, então montamos um velório no antigo abrigo dos idosos. Lá, ficou mais fácil, por que conta com todo o serviço. Tem TV, música e todo o conforto para os familiares”, conta. Atualmente, o velório do Grupo Boa Fé é um dos melhores do interior de Pernambuco.

      No galpão de preparação dos sepultamentos, numa área às margens da BR-232, Zé e sua equipe cuidam de tudo. Novos equipamentos foram adquiridos, como bombas de sucção, aplicador de formol e mesas de aço. E lá também que outra equipe cuida das coroas de flores e arranjos.

      Nesta noite de 1º de novembro, por exemplo, o empresário estava até tarde preparando arranjos e coroas devido à procura grande para o Dia de Finados, neste sábado (02).

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida! 

CEMITÉRIO VERTICAL

 

         Outro grande projeto da Funerária Boa Fé é o cemitério vertical, uma ideia genial que já está em fase de conclusão em Pesqueira. A previsão é que todo o projeto esteja pronto em 2020.

        Pai de Pedro Henrique Lopes e Karoline Paes Lopes, Zé vive feliz com sua esposa Rosângela. É um homem que convive com a morte diariamente, mas que implantou o respeito ao ser humano num negócio que cresce a cada dia, minimizando o sofrimento das pessoas. “A Morte faz parte da Vida e deve ser tratada com respeito e seriedade”, frisa José Floriano Lopes, o grande empreendedor do Grupo Boa Fé.

Grupo Boa Fé, Respeito à Vida!

 

Publicado por
em

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados