Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Padre Adilson Simões narrou ao pároco de Boa Viagem fato inexplicado ocorrido em missa

Padre Adilson Simões narrou ao pároco de Boa Viagem fato inexplicado ocorrido em missa
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Padre Adilson Simões narrou ao pároco de Boa Viagem fato inexplicado ocorrido em missa. “A partir desta data, recuso-me a dar quaisquer informações sobre o fato até quando a Santa Igreja se pronunciar oficialmente”, disse Padre Adilson, através das redes sociais.

Padre Adilson Simões narrou ao pároco de Boa Viagem fato inexplicado ocorrido em missa

       As redes sociais estão publicando uma carta que o Padre Adilson Simões enviou ao Padre Luciano, pároco da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, explicando sobre o ocorrido na Celebração Eucarística, dia 06 de janeiro, na Festa da Epifania do Senhor, em Boa Viagem, no Recife. Um blog de Arcoverde diz tabpem que o Vaticano vai investigar o caso. O padre Adilson devidiu não comentar o caso até a Santa Igreja se pronunciar. 

 

       Segue o texto da carta enviada pelo Padre Adilson ao Pároco de Boa Viagem, Padre Luciano.

 

       “Meu amigo, meu irmão! Antes de tudo quero desejar-te um feliz e abençoado 2020. Meu irmão, tentei falar contigo por telefone, não tendo sido possível, passo a informar-te algo surpreendente ocorrido hoje quando celebrava a Santa Missa em sua paróquia, nunca antes visto em meus 43 anos de vida sacerdotal. Sou extremamente zeloso e cuidadoso com as coisas santas, especialmente quanto a Santíssima Eucaristia, ‘mistério de nossa fé’.

       Durante a celebração, quando da oferta do pão a ser consagrado na hora da purificação do cálice (portanto sem ainda uso do vinho), sobre o sanguíneo apareceram manchas em seis pontos distintos seguindo-se a formação de uma massa pastosa consistente (não sei explicar) em pelo menos três pontos específicos do pano de linho do sanguíneo. Perguntei ao ministro que servia ao altar o que era aquilo? Ele ficou surpreso e disse que não sabe explicar. Em seguida, dobrei o sanguíneo e o conservei sobre o altar, por sobre o corporal.

       Uma senhora, ministra da eucaristia, quis retirá-lo para sacristia, não tendo a minha autorização. No final da missa, outra grande surpresa, o que digo é verdade, não sou de inventar coisas, muito menos quando se trata da sagrada liturgia, quando fui purificar o cálice, com outro sanguíneo que me foram trazido limpo, engomado, apareceram manchas parecidas com sangue (Não sei explicar). Estupefato, as pessoas mais próximas observaram o meu espanto, mostrei a um rapaz que estava acolitando, e ele disse: “Meu Deus, de novo, de novo...”

       Quis falar comigo, mas disseram-me que não estavas em casa. Liguei várias vezes, não obtendo respostas. As pessoas que viram, testemunhas oculares, foram por mim orientadas a guardar silêncio, mesmo sabendo que não cumpririam o meu pedido. Procurei evitar alarde. Tomei a decisão, pessoal, de levar contigo as peças contendo as manchas e as substâncias acima citadas para não deixá-las nas mãos de leigos ou expostas a pessoas estranhas ao fato.

       Não estando meu bispo na diocese, comuniquei o fato a Dom Dino, Bispo, amigo e conselheiro. Que me aconselhou guardar no sacrário os panos, até que sejam tomadas outras providências. Comunico-te como irmão no sacerdócio, vigário geral da amada Arquidiocese de Olinda e Recife, por dever a consciência pastoral, no dia 6 de janeiro de 2020, Festa da Epifania do Senhor. Colocando-me à tua disposição, para outras informações, peço-te informar a Dom Fernando Saburido, nosso Amado Arcebispo”.

       Att. Padre Adilson Simões, teu irmão no sacerdócio.

Publicado por
em
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!