Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”. Mais um acidente na rodovia BR-232 deixa a população indignada.

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”

      Augusto Simões, Armando da Banca, Marcela Cordeiro, Everton Santana. Vidas pesqueirenses perdidas de forma trágica. Todos eles morreram em graves acidentes automobilísticos na BR 232, em Pesqueira. A população de toda a região está revoltada e o local já está sendo chamado de “trecho da morte”.

      O “trecho da morte” consiste na extensão da BR-232 que vai desde a curva perigosa antes do Matadouro Público até a entrada para o município de Alagoinha.

      Quatros motoristas ouvidos hoje (16) pela reportagem do Site Flávio J Jardim – Notícia Verdade, afirmam categoricamente que, realmente, “o trecho é muito perigoso, principalmente à noite, quando a falta de visibilidade contribui para a ocorrência de acidentes”.

      O mais recente acidente com vítima fatal no “Trecho da Morte” foi no início da noite deste sábado (14 de setembro), quando Everton Santana, conhecido como “Chepa”, um mecânico que trabalhava numa retífica em Belo Jardim, que voltava para sua casa em Arcoverde, onde morava com a esposa e os seus filhos.

      Segundo um amigo da família, o rapaz, que é de Pesqueira, trabalhava em Belo Jardim e todo final de semana voltava para casa.

 

MORTES

 

      O vereador Augusto Simões morreu no dia em que completava 34 anos, vítima de um acidente no quilômetro 212 da rodovia BR-232, em Pesqueira. Ele também morreu naquele trecho da BR-232, em Pesqueira.

      Em outro acidente, num dos acessos da BR-232, no bairro Zé Rocha, próximo ao Matadouro Público de Pesqueira, o veículo do ex-vereador Armando da Banca sobrou numa curva e capotou. O ex-parlamentar veio a óbito no local.

      Há algumas semanas, uma colisão frontal entre um caminhão e um HB-20 de passeio, vítimou foi a professora Marcela Cordeiro de Oliveira, de 27 anos. Ela seguia da cidade de Alagoinha para Pesqueira, quando bateu o veículo HB20 em uma carreta. Com o impacto, Marcela ficou presa às ferragens e morreu.

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”

 

POPULAÇÃO INDIGNADA

 

      Revolta. Esta é a palavra que exprime o sentimento da população de Pesqueira e região. Os registros confirmam que todas as mortes citadas foram causadas na “Trecho da Morte”, em Pesqueira. A BR-232 é a mais importante via de acesso dos municípios pernambucanos do Sertão e Agreste para a capital, Recife. A rodovia possui pelos menos dois pontos críticos. Um na Serra das Russas, entre Gravatá e Pombos, e o outro em Pesqueira.

      O “trecho da morte” em Pesqueira é precário de sinalização, tem acostamento com buracos e a entrada que dá acesso ao município de Alagoinha é muito perigosa. Indignados com a situação e sem previsão para uma solução definitiva, moradores da região utilizaram usam as redes sociais para descrever o perigo e tentar alertar as autoridades.

      O trecho da BR é de responsabilidade federal e muitos pedidos de várias gestões dos governos municipais de Pesqueira foram feitos, cobrando providências urgentes do Governo do Estado e do Governo Federal. Até agora nenhuma ação para a solução final do problema foi realizada.

      Um dos motoristas ouvidos pela reportagem disse que “Mais vidas serão ceifadas enquanto o trecho não tiver com ótima sinalização, iluminação adequada e acostamento seguro”.

Pesqueira revoltada com o “Trecho da Morte”

 

Publicado por
em
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!