Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio. Setembro Amarelo ganha força na cidade. Sociedade se reúne e cria o movimento “Desperta Pesqueira – Diga Sim à Vida”. Caminhada será no dia 18.

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.

      J.E.F., de apenas 16 anos, se desentendeu com a família e tentou o suicídio usando uma gilete. Fez vários cortes no próprio corpo, mas o atendimento médico chegou a tempo e ele não morreu.

      A.C.S., de 14 anos, tinha um corte profundo na região genital. Foi levada às pressas ao hospital e também foi salva. O quadro de depressão acentuada está sendo tratado.

      J.S.B., 16 anos, ficou traumatizada quando um assaltante roubou seu celular. Teve síndrome do pânico e apresentou sentimentos suicidas. Graças à ação da mãe, ela tirou a ideia da cabeça.

      R.S.M., 17 anos, foi atendido por um padre que faz um trabalho social. Ele tinha marcas de cortes em várias partes do corpo. Depois do aconselhamento, o jovem está bem e nem pensa mais em suicídio.

      Esses casos, nobres leitores, são verídicos e apenas ilustram a situação de muitos jovens daqui mesmo de Pesqueira. Tentativas de suicídios, mutilação, depressão profunda e vontade de “sumir do mapa” são frequentes mais do que vocês imaginam. E pasmem! A maioria dos casos é em famílias de classe média.

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.

 

SETEMBRO AMARELO

 

      Para evitar casos como esses citados na reportagem, integrantes de vários segmentos da sociedade de Pesqueira se reuniram hoje (04 de Setembro), pela manhã, no Auditório da Secretaria de Educação da prefeitura de Pesqueira.

      Foi apresentada uma campanha de prevenção, que é liderada pelo IFPE Campus Pesqueira e pelas secretarias de Educação e de Saúde do município. No encontro foi exposto o amplo trabalho que será desenvolvido ao longo deste mês de setembro, visando coibir, alertar e conscientizar as famílias.

      O movimento “Desperta Pesqueira – Diga Sim À Vida”, formado por diversos órgãos e instituições, vai realizar atividades de conscientização e práticas complementares em conjunto para ajudar crianças, jovens e adolescentes que têm ou já tiveram ideação suicida.

      Uma grande caminhada será realizada no dia 18 de setembro, saindo às 8h do Convento dos Franciscanos até a Praça Dom José, no centro de Pesqueira, onde haverá uma grande ação conjunta com atendimento específico para adolescentes e jovens. Todos estarão vestidos de branco e amarelo para simbolizar a campanha e cada integrante das instituições ligadas ao movimento vai “dar seu recado” a todos os envolvidos.

      A Igreja Católica, denominações evangélicas das mais variadas (Universal, Adventista, Batista), Comunidade Quilombola, IFPE, Prefeitura, Desbravadores, Polícias Civil e Militar, Tiro de Guerra e outros segmentos da sociedade de Pesqueira estão engajados à Campanha.

      Até o dia da Caminhada (18 de setembro), esses organismos vão fazer atividades pontuais em suas sedes para chamar a juventude e conscientizar todos para o grande evento. Uma comissão desses órgãos foi criada para definir todas as ações do Setembro Amarelo em Pesqueira.

 

UM GRAVE PROBLEMA

 

      Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. O dado indica que a prevenção é fundamental para reverter essa situação, garantindo ajuda e atenção adequadas.

      A primeira medida preventiva é a educação. É preciso perder o medo de se falar sobre o assunto. O caminho é quebrar tabus e compartilhar informações. Esclarecer, conscientizar, estimular o diálogo e abrir espaço para campanhas como esta que contribuem para tirar o assunto da invisibilidade e, assim, mudar essa realidade. 

      Segundo o site do Setembro Amarelo, atualmente 32 brasileiros se suicidam diariamente. No mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos. Aproximadamente 1 milhão de pessoas se matam a cada ano. Sabe-se que os números são muito maiores, pois a subnotificação é reconhecida. Além disso, os especialistas estimam que o total de tentativas supere o de suicídios em pelo menos dez vezes.        

      Mas como buscar ajuda se muitas vezes a pessoa sequer sabe que pode receber apoio e que o que ela sente naquele momento é mais comum do que se divulga? Ao mesmo tempo, como é possível oferecer ajuda a um amigo ou familiar se também não sabemos identificar os sinais e muito menos temos familiaridade com a abordagem mais adequada?

Pesqueira tem casos de crianças e adolescentes que se mutilaram ou já pensaram em suicídio.

      É fato que o suicídio é um fenômeno complexo, de múltiplas determinações, mas saber reconhecer os sinais de alerta pode ser o primeiro e mais importante passo. Isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer” podem indicar necessidade de ajuda. 

      O suicídio é um ato de comunicação. Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, parece insuportável.

      No encontro de hoje participaram o gestor do IFPE Pesqueira, Waldemir Mariano, o Pároco Padre Marconni Barbosa, a diretora de ensino do IFPE, Kalina Cúrie Tenório Fernandes do Rêgo Barros, integrantes de escolas municipais, da Secretaria de Educação, da Secretaria de Saúde e das policias civil e militar, além de representantes da Comunidade Quilombola Negro do Osso e de denominações evangélicas.

      A prefeita de Pesqueira, Maria José, e a secretária de Educação, Cleide Oliveira, em viagens de trabalho, não puderam comparecer ao encontro, mas foram representadas.

      Outras reuniões serão realizadas em Pesqueira e o evento, no dia 18, promete despertar toda sociedade para um problema que pode estar dentro de casa. Alerte-se e participe.

Publicado por
em

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados