Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”. Usar o termo “virose da mosca” torna-se uma suposição, não uma causa oficial, diz Nota Técnica.

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.

       A Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Pesqueira emitiu hoje (11 de março), uma Nota Técnica explicando casos notificados de doenças diarreicas nas Unidades Básicas de Saúde e também o Hospital Dr. Lídio Paraíba.

 

Nota Técnica

 

       Através do Sistema Informatizado de Vigilância Epidemiológica de Doenças Diarreicas Agudas (SIVEP_DDA), a Secretária de Saúde faz o controle diário dos casos notificados de doenças diarreicas nas Unidades Básicas de Saúde e também o Hospital Dr. Lídio Paraíba, nesses controle é obrigatório o preenchimento do plano de tratamento aplicado, e este são seguidos de acordo com os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

       É garantido a toda população acesso a insumos que vão desde o hipoclorito de sódio para o tratamento da água consumida, como soro de reidratação oral, soro fisiológico e até tratamento por antibiótico, quando se fizer necessário.

       Há também algumas condutas rotineiramente realizadas tanto para a prevenção de doenças diarreicas como analise de água consumida no município por meio de coletas domiciliares nas zonas urbana ou rural, escolas, creches e abrigos e também a coleta de Swabs retais para realização de coprocultura, que são enviados semanalmente ao LACEN-PE, para investigação da etiologia da doença.

       Nos primeiros meses do ano, em geral, há um aumento dos números de casos de doenças diarreicas, considerado aumento sazonal, e quanto a origem, não há fonte reconhecida pela Secretária Estadual de Saúde e/ou Ministério da Saúde, usar o termo ‘virose da mosca” torna-se uma suposição, não uma causa oficial.

       É fato afirmar, que todas medidas epidemiológicas/sanitárias cabíveis estão sendo tomadas, seguindo sempre os protocolos vigentes, e que todos os pacientes que tem buscado assistência seja ela ambulatorial, ou hospitalar tem sido atendidos e tratados conforme os mesmos protocolos.

       Também considerando a sazonalidade e as recentes chuvas, ver-se o aumento do número de culix (muriçoca) em nosso município, ele, segundo o Ministério da Saúde não é transmissora de nenhuma das arboviroses que circulam no país atualmente (Dengue, Chikungunya e Zika) essas são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, mesmo assim, a prefeitura de vem realizando o trabalho de combate a muriçoca no intuito da promoção do bem estar da população com recursos próprios desde o dia 11 de fevereiro.

       Já o combate ao Aedes, a vigilância ambiental realiza os trabalhos de forma continua, e o resultado desse trabalho fica evidente através de baixo número de casos suspeitos de arboviroses no município.

 

Joicy Anne de Vasconcelos Lech Teixeira

Coordenadora de Vigilância em Saúde

 

Publicado por
em

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados