Voltar ao topo

FLÁVIO J JARDIM - NOTÍCIA VERDADE

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”. Usar o termo “virose da mosca” torna-se uma suposição, não uma causa oficial, diz Nota Técnica.

Secretaria de Saúde de Pesqueira explica sobre “Virose da Mosca”.

       A Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Pesqueira emitiu hoje (11 de março), uma Nota Técnica explicando casos notificados de doenças diarreicas nas Unidades Básicas de Saúde e também o Hospital Dr. Lídio Paraíba.

 

Nota Técnica

 

       Através do Sistema Informatizado de Vigilância Epidemiológica de Doenças Diarreicas Agudas (SIVEP_DDA), a Secretária de Saúde faz o controle diário dos casos notificados de doenças diarreicas nas Unidades Básicas de Saúde e também o Hospital Dr. Lídio Paraíba, nesses controle é obrigatório o preenchimento do plano de tratamento aplicado, e este são seguidos de acordo com os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

       É garantido a toda população acesso a insumos que vão desde o hipoclorito de sódio para o tratamento da água consumida, como soro de reidratação oral, soro fisiológico e até tratamento por antibiótico, quando se fizer necessário.

       Há também algumas condutas rotineiramente realizadas tanto para a prevenção de doenças diarreicas como analise de água consumida no município por meio de coletas domiciliares nas zonas urbana ou rural, escolas, creches e abrigos e também a coleta de Swabs retais para realização de coprocultura, que são enviados semanalmente ao LACEN-PE, para investigação da etiologia da doença.

       Nos primeiros meses do ano, em geral, há um aumento dos números de casos de doenças diarreicas, considerado aumento sazonal, e quanto a origem, não há fonte reconhecida pela Secretária Estadual de Saúde e/ou Ministério da Saúde, usar o termo ‘virose da mosca” torna-se uma suposição, não uma causa oficial.

       É fato afirmar, que todas medidas epidemiológicas/sanitárias cabíveis estão sendo tomadas, seguindo sempre os protocolos vigentes, e que todos os pacientes que tem buscado assistência seja ela ambulatorial, ou hospitalar tem sido atendidos e tratados conforme os mesmos protocolos.

       Também considerando a sazonalidade e as recentes chuvas, ver-se o aumento do número de culix (muriçoca) em nosso município, ele, segundo o Ministério da Saúde não é transmissora de nenhuma das arboviroses que circulam no país atualmente (Dengue, Chikungunya e Zika) essas são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, mesmo assim, a prefeitura de vem realizando o trabalho de combate a muriçoca no intuito da promoção do bem estar da população com recursos próprios desde o dia 11 de fevereiro.

       Já o combate ao Aedes, a vigilância ambiental realiza os trabalhos de forma continua, e o resultado desse trabalho fica evidente através de baixo número de casos suspeitos de arboviroses no município.

 

Joicy Anne de Vasconcelos Lech Teixeira

Coordenadora de Vigilância em Saúde

 

Publicado por
em
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Linked In
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no WhatsApp
  • Compartilhar no Twitter

Veja Também:

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário Sua opinião é muito importante!