Sexta, 30 de outubro de 2020 hh:mm:ss

Comitê do PSOL em Pesqueira sofre ato de vandalismo. “Enigma” teria sido escrito na cidade

Presidente do PSOL, Antônio Mota, fará Boletim de Ocorrência (BO) na Delegacia de Pesqueira ainda hoje. Ele disse que circula um boato que “letras separadas” teriam sido pichadas em pontos da cidade, num “quebra-cabeça de terror”

Publicado em 7 de outubro de 2020 às 13:18
Atualizado há 3 semanas

       O comitê central eleitoral do candidato à Prefeitura de Pesqueira pelo PSOL, Antônio Mota, sofreu ato de vandalismo na madrugada desta quarta-feira (07). Uma arte em grafite que decorava a fachada exterior foi pichada com spray na cor preta.

       A frase “Fora Bolsonaro!”, que completa o grafite do artista Tito (muito conhecido na região), foi totalmente borrada. O presidente do PSOL local classificou o vandalismo como “ato terrorista”.

       Ele diz que não é exagero o termo “terrorismo”, uma vez que acredita que a campanha do PSOL está incomodando “muita gente”, diz ele, sem enumerar nomes. “Nosso comitê central foi alvo de ato terrorista. Danificaram uma das artes feitas pelo artista”, denunciou Antônio Mota.

       Segundo o prefeiturável, a ação deve ter ocorrido na madrugada, porque ninguém viu quem danificou a fachada do comitê. Após a abertura do BO, a polícia deve iniciar as investigações. “Acho um absurdo esse tipo de ato, ainda mais à medida que a campanha está avançando”, afirmou o candidato a prefeito.

NINGUÉM VIU

       O comitê central do PSOL fica no antigo restaurante O Bosque, no centro de Pesqueira, bem próximo à Câmara de Vereadores e aos prédios dos Correios e da Escola Estadual Cacilda Almeida, mas até o momento ninguém afirma ter visto quem praticou o vandalismo.

MISTÉRIO       

O presidente do PSOL disse ainda que na cidade circula um boato que “algumas letras separadas” teriam sido pichadas em algumas residências e em alguns pontos do município, “num quebra-cabeça de terror”. “Talvez seria para se juntar as letras e montar um enigma”, especulou o candidato. A polícia só vai investigar quando o BO foi lavrado na delegacia.

Voltar ao topo