Domingo, 21 de abril de 2024 hh:mm:ss

CONSELHEIROS  MORTOS | Filho de Conselheiro Tutelar Assassinado Acompanha Julgamento de Chacina em Poção

Lindemberg Filho busca justiça no julgamento do réu acusado de atirar contra seu pai e outros três conselheiros na Chacina de Poção.

Publicado em 27 de fevereiro de 2024 às 12:50
Atualizado há 2 meses

RECIFE (PE) – Em um momento marcante para a busca por justiça, Lindemberg, filho de um dos conselheiros tutelares brutalmente assassinados em Poção, expressa sua determinação em ver os responsáveis pelo crime prestarem contas perante a lei. O julgamento do réu acusado de ser o atirador na Chacina de Poção entrou em seu segundo dia nesta terça-feira (27), com Lindemberg Junior e familiares das outras vítimas presentes para testemunhar o desenrolar do caso.

        Lindemberg, filho de Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, que na época tinha 54 anos, fala com emoção sobre a importância do julgamento: “Estamos aqui há nove anos em busca de justiça. Desde o início, a família tem acompanhado de perto este processo, e não descansaremos até que a justiça seja feita e todos paguem por esse crime. Parece que ainda não conseguimos enterrar meu pai, seus colegas e dona Ana Rita. Acreditamos que, com o fim do julgamento popular, finalmente poderemos dar-lhes o descanso eterno.”

        O julgamento de Wellington Silvestre dos Santos, também conhecido como “chave de cadeia”, foi suspenso no primeiro dia e está programado para continuar no Fórum Thomaz de Aquino Cyrillo Wanderley, no bairro de Santo Antônio, no Recife. Wellington Silvestre é acusado de ter disparado contra quatro pessoas dentro do Sítio Cafundó, resultando na morte dos conselheiros tutelares Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, José Daniel Farias Monteiro, Carmem Lúcia da Silva, e Ana Rita Venâncio.

        O julgamento, que está sendo conduzido por um júri popular composto por sete mulheres, representa um passo significativo na busca por justiça para as vítimas da Chacina de Poção, um trágico evento que ocorreu na noite de 6 de fevereiro de 2015 no Agreste de Pernambuco.

Voltar ao topo