Quinta, 25 de abril de 2024 hh:mm:ss

CORPO ENCONTRADO EM POÇÃO | Feminicídio choca Poção e todo o Agreste de Pernambuco

Corpo pode chegar ainda hoje em Poção. O feminicídio chocou os moradores. O motivo alegado para o crime é chocante: segundo as investigações, o adolescente acreditava que a vítima estava grávida, que havia dançado com outro homem durante uma festa recente, e que seus “colegas” o tinham “zuado”, lhe chamando de “c*rn*”.

Publicado em 3 de setembro de 2023 às 16:34
Atualizado há 8 meses

POÇÃO (PE) – Um crime bárbaro abalou a tranquilidade da cidade de Poção, localizada no Agreste de Pernambuco. Neste sábado (02 de agosto), os moradores da pacata comunidade foram surpreendidos com a notícia do desfecho do desaparecimento de Andreia Caetano Ferreira, uma adolescente de apenas 17 anos.

       O crime, caracterizado como feminicídio, chocou os moradores e despertou uma onda de indignação.

       O corpo de Andreia foi encontrado em um cacimbão nas proximidades da cidade, revelando o final trágico de sua curta vida. A triste descoberta ocorreu após dois adolescentes, primos da vítima, terem sido descobertos e confessados ​​o crime. A investigação está sob responsabilidade da Delegacia de Polícia de Poção, e os acusados ​​foram autuados por ato infracional e serão apresentados ao Ministério Público.

       Dr. Marcelo Francisco, delegado de policial que ficou à frente das primeiras investigações, detalhou a sequência dos eventos que causaram essa tragédia terrível. Andreia, que tinha 17 anos, estava desaparecida desde quinta-feira, 31 de agosto de 2023.

       A última vez que foi vista foi na noite daquele dia, quando se dirigiu à escola. No sábado, 02 de setembro, pela manhã, seu corpo foi encontrado no cacimbão, um local próximo ao município de Poção.

       A tragédia ganhou contornos ainda mais sombrios quando se soube que um dos suspeitos do crime era o ex-namorado de Andreia, e ele teria solicitado ao seu primo que a matasse. O motivo alegado para o crime é chocante: o adolescente acreditava que a vítima estava grávida, que havia dançado com outro homem durante uma festa recente, e que seus “colegas” o tinham “zuado”, lhe chamando de “c*rn*”.

       Os dois suspeitos, ambos com 15 anos de idade, foram apreendidos e serão apresentadas as medidas socioeducativas. A ação para capturá-los foi conduzida de forma conjunta pela 15ª Delegacia de Polícia de Belo Jardim e pela 8ª Companhia de Polícia de Pesqueira. A rápida atuação das autoridades permitiu que os responsáveis ​​por esse ato fossem detidos e encaminhados para as devidas medidas legais.

       O caso chama a atenção pela triste constatação de que a família de Andreia já havia percebido atitudes agressivas do acusado e as tentativas de proibir o relacionamento. Mesmo com a pressão da família, a vítima teria continuado a se encontrar com o agressor, o que culminou em sua morte trágica.

       A comunidade de Poção, profundamente abalada por esse ato de violência, manifesta seu desejo por justiça e presta homenagens à jovem Andreia. Moradores da cidade querem, inclusive, fazer um protesto em prol da justiça e em memória da vítima. A revolta e a comoção tomaram conta da população, que se unirá para exigir que casos como esse não fiquem impunes. Os moradores aguardam ansiosos pela chegada do corpo da jovem ainda hoje (03).

       A cidade de Poção e todo o Agreste de Pernambuco acompanham com tristeza e indignação mais um caso de feminicídio, clamando por um sistema de justiça que combata eficazmente essa violência e proteja as mulheres em nossa sociedade. Nossos pensamentos estão com a família e amigos de Andreia Caetano Ferreira neste momento de dor e luto.

Saiba Mais no Portal www.flaviojjardim.com.br (link nos stories).

Voltar ao topo