Quarta, 27 de janeiro de 2021 hh:mm:ss

Cultura, Arte e Ciência na Cerimônia de Abertura do Fest Alter 2020

O evento contará com a presença de artistas e cientistas premiados mundialmente, como Carlos Nobre e Ricardo Galvão.

Publicado em 27 de novembro de 2020 às 15:16
Atualizado há 2 meses

       Marcada para o próximo dia 09 de dezembro, às 21h, quando os filmes, iniciando o processo de votação popular já estarão sendo exibidos na plataforma do evento, a cerimônia de abertura do Festival de Cinema de Alter do Chão 2020 irá contar com algumas das maiores personalidades do mundo cultural, artístico, científico, representantes das diversas etnias indígenas, quilombolas, e  de apoiadores como o Sebrae e a Embaixada da França.

       Na abertura haverá depoimentos e lives com cineastas famosos como o Presidente de Honra do Fest Alter 2020, Cacá Diegues, e nomes como Xavier de Oliveira (presidente do Júri da Mostra Competitiva) e Célia Maracajá (cineasta e diretora indígena), artistas como  Marcelo D2, Moacyr Luz, Raimundo Fagner, o diretor de teatro Amir Haddad, a atriz Zezé Motta,  e a compositora e ex-Ministra da Cultura Ana de Hollanda.

       O evento contará com cientistas reconhecidos mundialmente como Carlos Nobre (do INPE, descobridor do fenômeno intitulado “Rios Voadores”, agraciado como o cientista do ano pela comunidade científica mundial e considerado um dos  maiores conhecedores da Amazônia e pesquisas sobre o aquecimento global), Gustavo Martinelli (cientista/botânico, titular Instituto de Pesquisas Jardim Botânico RJ) e Ricardo Galvão (ex-presidente do INPE, ano passado eleito como o cientista do ano pela revista Nature).

       Participam também personalidades internacionais como Romann Datus (responsável pela cultura do governo da França) e nacionais como Emmanuel Tourinho, reitor da UFPA e Rubens Magno, diretor do Sebrae; lideranças indígenas  como Daniel Munduruku, Edson Kaiapó e dos quilombolas, como Daniel de Souza (líder do Quilombo Jauary, o mais antigo da Amazônia e do Brasil) e 

       Com temas sobre a Amazônia, sustentabilidade e meio ambiente, além, é claro, do assunto em voga, o audiovisual, a abertura também contará com a presença da viúva de Aldir Blanc, Mari de Sá  Freire, que deverá agradecer a homenagem que o Festival, através de vídeos e depoimentos de inúmeros artistas,  irá render ao grande poeta, compositor e escritor brasileiro que nos deixou recentemente.

Voltar ao topo