Domingo, 05 de julho de 2020 hh:mm:ss

Fim do Mundo? Nuvem de gafanhotos no Sul do Brasil, terremoto no México e Covid avança no interior do Rio e SP

Tempos difíceis na América do Sul. No México, um terremoto de 7.5 atingiu a capital. No Sul do Brasil, uma nuvem de gafanhotos pode ser prejuízo para lavouras e a covid avança no interior

Publicado em 23 de junho de 2020 às 18:25
Atualizado há 2 semanas

       Um Nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil e deixa fronteira gaúcha em estado de atenção. Os Produtores rurais e o governo da Argentina estão monitorando o deslocamento de uma nuvem de gafanhotos no país.

       Os insetos vieram do Paraguai e avançam em direção à fronteira do Brasil com o Uruguai. Apesar de se deslocarem rapidamente – cerca de 100 quilômetros em um dia – os gafanhotos não apresentam risco aos seres humanos, mas podem causar danos a plantações e pastagens.

       A Emater do Rio Grande do Sul orienta produtores da Fronteira Oeste do RS a monitorar a chegada de uma nuvem de gafanhotos, prevista para entrar na região nos próximos dias, dependendo das condições climáticas.

       Em aproximadamente um quilômetro quadrado de nuvem podem ter até 40 milhões de insetos, que consomem em um dia pastagens equivalentes ao que 2 mil vacas ou 350 mil pessoas comem, segundo o engenheiro agrônomo argentino Héctor Medina.

MÉXICO

       Um terremoto de magnitude 7.5 foi sentido na Cidade do México. O presidente do país, Andrés Manuel López Obrador, afirmou que o epicentro do tremor foi no estado de Oaxaca e teve reflexos na capital mexicana. Uma morte foi confirmada.

       O tremor de magnitude 7.5 na escala Richter atingiu as regiões sul e central do México hoje (23). Em um vídeo o presidente do México, Andrés Obrador, revelou que o epicentro foi no estado de Oaxaca e chegou a atingir a Cidade do México.

COVID NO INTERIOR DO RIO E DE SP

       Depois de atingir principalmente as regiões metropolitanas de São Paulo e Rio de Janeiro, a covid-19 avança por todo o interior dos dois estados. A interiorização da doença é um fenômeno observado em todo o país, mas os dois estados do Sudeste registram níveis alarmantes de propagação.

       O avanço preocupa pela baixa capacidade hospitalar de cidades menores. Em menos de 45 dias, o vírus avançou para todas as regiões do estado, de acordo com levantamento da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo.        No Rio de Janeiro, a comissão de especialistas que assessora o governo do estado para questões de covid-19, disse que “Teremos que nos preparar para um período muito longo de crise humanitária”.

Voltar ao topo