Quarta, 14 de abril de 2021 hh:mm:ss

LOCAL TÉTRICO | Mais um homem morre na ponte Cascavel, na Serra das Russas, entre Gravatá e Pombos (PE)

Os números só aumentam e a população das duas cidades do interior de Pernambuco exige providências

Publicado em 7 de abril de 2021 às 16:12
Atualizado há 1 semana

       Nos últimos meses, vários atentados contra a própria vida. Um número avassalador e hoje (7 de abril) mais uma ocorrência de um suicídio foi registrada no viaduto Cascavel, na divisa entre Pombos e Gravatá, na Serra das Russas, no Agreste de Pernambucano.

       O mais recente caso ocorreu na manhã desta quarta-feira, dia 7 de abril.  De acordo com as informações, a vítima é um homem que residia em Pombos. O homem teria estacionado seu veículo na ponte e depois se jogado de altura a próxima de 60 metros.

       O Corpo de Bombeiros e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foram acionados para o local da ocorrência. O corpo da vítima foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife e o caso registrado na Delegacia da 62ª DEPOL.

UM VIADUTO

       Várias cidades da região agreste de Pernambuco já registaram óbitos provenientes de ato extremos das vítimas. A depressão, o mal do século, desilusões amorosos, dívidas, desemprego e stress. As causas são muitas.

       Recentemente, um deputado esteve no local com um ex-prefeito de Gravatá. Juntos, anunciaram a destinação de R$ 500 mil reais para instalação de telas no viaduto para evitar esse tipo de episódio, corriqueiro no local.

       Os moradores pedem providências e querem alguma ação que evite as mortes. Várias cidades, inclusive Pesqueira, já registraram suicídios de filhos da terra.

       Segundo a Wikipédia, a Serra das Russas é um conjunto de escarpas assimétricas localizada a 80 km do litoral de Pernambuco, na divisa dos municípios de Pombos, Gravatá e Chã Grande. No passado representou um dos principais obstáculos para o desbravamento do interior do estado de Pernambuco.

       A Serra das Russas tem esse nome por causa da constante neblina que domina suas escarpas durante boa parte do dia. A origem do nome – russas – vem da palavra ruça ou ruço, usada para se referir a nevoeiros rápidos e espessos que sobem uma serra espalhando-se em massa compacta, muito comuns na região, sendo a sua escrita nessa forma – com duas letras s – advinda do português arcaico.

       O termo Serra das Russas é usado popularmente para designar todo Planalto da Borborema em Pernambuco, mas a designação só se refere ao pequeno trecho de contrafortes de aclives e declives, situados entre os municípios de Pombos, Gravatá e Chã Grande.

       Antes a serra se colocava como uma das áreas mais perigosas e arriscadas para motoristas em viagem na BR-232, entre Recife e interior. Com a duplicação da BR-232, chamada atualmente desde o município de São Caetano até o Recife de Rodovia Luiz Gonzaga, em homenagem ao saudoso artista pernambucano Luiz Gonzaga, o risco caiu consideravelmente, tornando a viagem tranquila e rápida.

       Mesmo assim ocorrem muitos acidentes provocados pela imprudência e o excesso de velocidade. Por esses motivos foram instaladas duas lombadas eletrônicas no sentido Caruaru-Recife, que corresponde ao antigo trecho desta via antes da duplicação.

       Quem vem no sentido Recife-interior ainda pode ver o primeiro túnel rodoviário de Pernambuco, o Túnel Cascavel ou Plínio Pacheco, com extensão de 370 metros e a Ponte Cascavel com 450 metros de extensão e aproximadamente 60 metros de altura máxima, localizada um pouco antes da entrada do túnel homônimo.

       A ponte Cascavel também é utilizada para esportes radicais como o rapel. Muitas mortes foram registradas por suicídio, numa escala tétrica.

Voltar ao topo