Sábado, 26 de setembro de 2020 hh:mm:ss

REBOLIÇO POLÍTICO: Em Venturosa (PE), presidente da Câmara cobra dívida de pai de pré-candidato

Jornal diz que “Pré-candidato estava no plenário e, após a fala do vereador, soltou a voz tentando intervir na sessão da Câmara sem autorização, desrespeitando o Poder Legislativo”.

Publicado em 21 de agosto de 2020 às 16:09
Atualizado há 1 mês
cópia de vídeo original

       “A pré-campanha eleitoral esquentou o clima na cidade de Venturosa, Agreste de Pernambuco, num embate que envolveu o pré-candidato a vice das oposições, Tarcísio Victor, e o presidente da Câmara Municipal, vereador João Henrique. As cenas que podem ser conferidas em um vídeo (abaixo) foram registradas na última sessão ordinária da casa legislativa, na última segunda-feira (17), quando o pré-candidato se fez presente e teria discutido com os vereadores”.

       A reportagem acima foi publicada no Jornal Folha das Cidades, em sua edição de hoje (sexta-feira, 21), e casou “reboliço” na política de Venturosa.

       Segundo o jornal, “em sua fala, o vereador revelou que o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Venturosa, o ex-vereador Paulo Altemir Victor de Almeida, pai do pré-candidato a vice-prefeito na chapa de Adriano do Posto, deve aos cofres públicos do Município de Venturosa, quase R$ 300 mil (R$ 262.946,94). Débito esse que está devidamente inscrito na dívida ativa do Município de Venturosa. Isso significa que é um débito reconhecido pela justiça, em sentença transitada em julgado, ou seja, não cabe mais recurso”, destaca o jornal.

       A Folha das Cidades prossegue informando que “O débito é resultado de uma condenação do Tribunal de Contas do Estado ocorrida no dia 23 de maio de 2007, quando a Segunda Câmara julgou irregulares as contas da mesa diretora da Câmara Municipal de Venturosa relativas ao exercício financeiro de 2004, condenado o então presidente Paulo Altemir de Almeida Victor a restituir aos cofres públicos a importância de R$ 90.985,10, corrigida monetariamente”.

       O jornal informou que, “segundo a relatora do processo, conselheira Teresa Duere, a Câmara de Venturosa realizou despesa sem finalidade pública no valor de R$ 16.827,10; não comprovou gastos no valor de R$ 22.200,00; praticou atos de improbidade administrativa e celebrou contratos no valor de R$ 51.868,00 com uma empresa em situação irregular”.

        Já segundo o vereador João Henrique, “caso essa dívida fosse quitada pelo ex-vereador, os recursos dariam para, por exemplo, comprar 04 ambulâncias, ou 02 UTIs; ou 04 respiradores, pagar 263 tomografias ou 32.780 testes rápidos para a população de Venturosa”.

       Após sua fala, o pré-candidato Tarcísio Victor soltou a voz tentando intervir na sessão da câmara sem autorização, desrespeitando o Poder Legislativo.

       João Henrique desabafou dizendo “A todo momento membros e pré-candidatos da oposição gostam de desfazer dos vereadores da situação e estão acostumados a falarem e agredir os vereadores como querem. Acontece que há o momento para tudo e de tanto ser insultado chega o momento de se defender. Quem quer ganhar uma eleição, une as pessoas e não agride vereadores, pois quem fala o que quer acaba escutando o que não quer”.

Voltar ao topo