Sociedade

JULGAMENTO SÓ EM FEVEREIRO. CACIQUE NÃO SERÁ DIPLOMADO NEM CABE LIMINAR.

Julgamento do cacique é deslocado da pauta e só continua em fevereiro. Cacique não será diplomado. O presidente da câmara vai assumir.

Por Flávio José Jardim atualizado há 3 anos
Publicado em 18 de dezembro de 2020, 09h11

JULGAMENTO SÓ EM FEVEREIRO. CACIQUE NÃO SERÁ DIPLOMADO NEM CABE LIMINAR.

O Julgamento do cacique Marquinhos foi suspenso hoje (18 de dezembro) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo informações seguras, o julgamento foi deslocado para fevereiro. Até lá, o cenário processual não será alterado. O cacique Marquinhos não poderá pedir liminar nem ser diplomado. O vereador que vencer e for escolhido como presidente da Câmara de Pesqueira vai assumir o executivo municipal em 1° de Janeiro. Com essa situação, o vice presidente da câmara assume a presidência do Poder Legislativo. Segundo fontes de Brasília, tudo mudou, menos o cenário de votação, que continua 2x1, ou seja, dois votos pela inelegibilidade e um a favor do cacique.

As informações dão conta que "O relator, Ministro Sérgio Banhos, não vai conceder liminar porque não houve resultado final, nem o ministro Barroso dará liminar durante o recesso porque o julgamento não chegou ao fim. Só em fevereiro", garantiu . A fonte informou aos advogados que "o tempo corrido não ajudou a se chegar a uma decisão e em fevereiro os ministros terão tempo até para conceder aos advogados sustentação oral sobre o processo".

O mundo político de Pesqueira se vira agora para a eleição da mesa presidente da câmara de vereadores, uma vez que o novo chefe do Poder Legislativo vai assumir a prefeitura em 1° de janeiro. Observadores avaliam ainda que o resultado até agora, 2x1, mostra uma tendência. O voto de Barroso foi importante para a inelegibilidade, mas o voto do Ministro Fachin beneficiou o cacique. Mesmo assim, o cenário continua com força para o relator, que recomendou novas eleições em Pesqueira. O município segue sem prefeito eleito.

Você precisa estar logado para comentar. Por favor, faça login ou crie a sua conta.

Ainda não há comentários para esta notícia. Seja o primeiro a comentar!

Veja também